sábado, 30 de janeiro de 2010

Lágrimas de um alienado!

Essa é a minha versão sobre aquela velha história que Axl escreveu as músicas 'Don't Cry', 'Estranged', e 'November Rain' baseadas em um conto de um amigo dele, Del James. Eu na minha opinião, acho que tem muito mais além disso, acho que foi um tempo, digamos que, meio escuro para Axl. Então antes de ele escrever as músicas, acho que ele escreveu uma carta, e imagino que seja assim:

'Era uma noite fria, o vento que passava pela fresta da janela entre aberta e a fina corrente de ar que descia pela chaminé da sala, faziam sons que ecoavam por entre os longos e vazios corredores daquela casa... Eu estava só, o resto da banda tinha saído para se divertir, todos estavam com as suas mulheres daquela noite quando saíram de casa com garrafas nas mãos, desconfio que tenham ido para o Rainbow, sei lá. Só sei que eu sobrei aqui, meio deprimido talvez... Talvez nem tenha o porque, estamos prestes a lançar nosso novo CD duplo, mas algo dentro de mim está me dizendo que eu estou sozinho, assim como eu vim a esse mundo, eu estou nesse momento, sozinho! Ninguém nunca disse como seria isso, a vida, a falta de uma pessoa ao seu lado, como isso faz falta, mas exactamente agora eu não tenho nada para fazer, só posso ficar aqui deitado, esperando o tempo passar, e aí sim veremos o que está por vir.

Por dentro parece que estou acabado, como se já tivesse vivido tudo que tinha, e tudo isso com apenas 28, mas acredito que eu seja muito garoto ainda, pra deixar que uma solidão, a falta daquela pessoa me deixe pra baixo, com um coração partido. Mas mesmo assim, parece que já está na hora de amadurecer esse meu jovem coração, porque esse tempo que viemos separados não fez bem a mim, mesmo você dizendo que iria me encontrar em breve, algum dia desses, e dizendo que eu nunca precisei de você, pois quando eu realmente precisei de você, foi embora e levou tudo de mim, nada material, mas é como se tivesse sugado todas as minhas emoções... apenas foi embora e levou tudo de mim.

Está difícil de aguentar todo esse tempo de espera, a duvida de que você realmente voltaria para mim volta a cada instante que passa, agora que realmente estou sozinho, e todos que pareciam me dar conforto nos momentos necessários não estão dispostos a me ajudar, a me apoiar nesse momento. Acho que vou ter que fazer meu próprio caminho, achar a minha própria saída, talvez ai sim, eu possa te esquecer e deixar todo esse rancor e tristeza que habita no meu velho coração pra trás, podendo assim voltar a viver, pois muitas vezes o amor é melhor morto.

Eu apenas te digo para não chorar, eu nunca realmente te deixei, nunca deixei que o nosso amor se afogasse em mágoas, eu sei como se sente, eu sei o que passa em sua mente, eu pareço ser forte por fora, mas por dentro estou acabado, acredite, eu já estive onde você está. Peço apenas que seja forte, que aguente firme e não perca a linha, eu ainda te amo, estarei sempre ao seu lado! Quando imaginar que a sua vida está um inferno, o calor insuportável da chama do pecado estiver queimando sob a sua pele, olhe para cima, o paraíso está logo acima, basta estender a mão para mim. Espero que se lembre, que sempre fui sincero, e lembre-se também como estou me sentindo agora querida, assim como eu tentarei, tente também fazer seu próprio caminho pra fora desse lago de solidão, mas enquanto for noite, nada podemos fazer, então esperemos pela luz que cria-se ao amanhecer, que nos sentiremos bem melhor!

Por tudo o que estás passando agora, já presenciei em minha vida, não soube exactamente como lidar, e ainda sinto a mesma coisa. Assim como as folhas no outono, nosso coração pode mudar, já que nada dura pra sempre, mesmo sendo difícil, nessa fria e longa chuva de Novembro, vamos manter nossa chama acesa. Vivo esse caos sentimental por um longo tempo, tentando me libertar dessa dor que me prende aqui. Mesmo sabendo que amantes vem e vão, que quando uma carta de amor é escrita, em qualquer outro lugar, outra está sendo queimada, não sabendo realmente quem está indo ou quem está voltando. Talvez o que precisemos é de um tempo, eu poderia relaxar a minha mente, coloca-la em ordem, sabendo que você ainda seria minha, apenas minha. Então se realmente quer arriscar a sua vida me amando, por favor não se reprima, ou acabarei voltando de onde vim, nessa fria chuva de Novembro. Será que você precisa de um tempo sozinha, totalmente sozinha? Pois eu sim, preciso de um tempo, totalmente sozinho. Todos precisam ter o seu tempo, consigo mesmo! Por favor entenda, o que você precisa agora, é um pouco de tempo sozinha.

E quando todos os seus medos passarem, mesmo se as sombras remanescerem, eu sei que você poderá me amar, quando não sobrar mais ninguém para te culpar. Então não de importância às trevas, nós com certeza encontraremos o nosso caminho, porque nada dura pra sempre, nessa longa e fria chuva de Novembro.

Ainda sozinho em casa, e mesmo com essa reflexão que estou tendo aqui, não vejo forças para continuar com nada, não sinto nem vontade de levantar mais da cama, mesmo que seja para ir ao banheiro, sinto que preciso me libertar, mas de um outro jeito, para um lugar onde ninguém possa me julgar apenas pela aparência, ou pelo que faço e pelo que fiz, onde ninguém possa ficar me chutando, como se eu fosse uma pequena lata de cerveja jogada na calçada.

Decidi então abandonar tudo e me jogar, mergulhar fundo em um lago profundo e fazer dele o meu lar, apenas por estar sozinho, afundando devagar, completamente sozinho. Se não é isso que estão vendo, pare e leia nas entrelinhas, e entenderás o que me levou a isso. Eu vejo a tempestade chegando cada vez mais perto, e as ondas estão cada vez mais altas e violentas, parece que tudo que tivemos durante esse tempo está passando pela minha cabeça, eu realmente devo ficar a deriva e morrer lentamente? Sei que nunca acharei ninguém que te substituiria, me parece que terei que superar isso mais uma vez, mais uma vez sem você. Estava certo que a tempestade se aproximava, mesmo os próximos a mim dizendo que eu estava apenas alto demais, e tudo o que tivemos sempre esteve aqui, eu nunca quis deixar isso morrer...

Axl Rose, 12/11/84.
'

Essa é a minha versão, como se fosse um tipo de carta de suicidio, que ele estava deixando para a banda ler, os amigos, familia e também Erin.

Não sei o que vão achar, alguns já gostaram (:

Obrigado .-.

Nenhum comentário: